Rodrigo Maia lançará candidatura à Presidência em março, diz Mendonça Filho - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

19/01/2018

Rodrigo Maia lançará candidatura à Presidência em março, diz Mendonça Filho

Partido conversa com PP, SD e PSD

Rodrigo Maia aguardará uma definição sobre a votação da reforma da Previdência antes de anunciar sua candidatura ao Planalto © Divulgação
O ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM-RJ), disse ao Poder360 que Rodrigo Maia oficializará sua candidatura à Presidência da República na convenção do partido. “Vamos referendar o nome na convenção, no início de março”, disse.

A entrevista foi concedida nesta 4ª (18.nov.2018) no gabinete do ministro, em Brasília. “É o nome em ascensão na política brasileira e foi o grande avalista das reformas que garantiram a recuperação do Brasil.”

Mendonça –que diz não ter decidido seu próprio futuro no Pernambuco, mas pode concorrer ao Senado –é 1 dos principais articuladores do lançamento do nome do presidente da Câmara ao Planalto. O prazo limite indicado por ele para o anúncio de Maia é 7 de março.

A intenção é que o nome seja lançado antes da abertura do prazo para os políticos mudarem de partido, a chamada janela partidária, justamente em 7 de março. O DEM espera com isso consolidar o presidente da Câmara como o nome do centro na campanha presidencial e, assim, atrair novos filiados.

Rodrigo Maia já deu declarações públicas de que avalia as chances de sua candidatura. Mas Mendonça Filho é o 1º a dar 1 prazo concreto para o anúncio.

A data considera não só o período para filiação de novos membros ao partido, mas o timing das discussões da reforma da Previdência. Segundo o ministro, a proposta tem uma janela de aprovação, que é fevereiro. Se não for aprovada, o assunto estará encerrado.

Com essa definição, o presidente da Câmara acredita que terá caminho livre para se lançar como candidato.

“Rodrigo interpretou, corretamente, que se fizéssemos uma convenção em fevereiro, como acontecerá de [ser feito o] lançamento do nome dele como pré-candidato a Presidência da República, poderia gerar uma interpretação de que atropelamos a agenda de reformas”, disse.

Assista a 1 vídeo com trechos da entrevista (4min05s):


PESQUISAS

O presidente da Câmara aparece timidamente nas pesquisas eleitorais, mas tem ouvido de aliados que é cedo para fazer a análise. “O retrato atual de pesquisas não pode ser lido como 1 fator definidor do processo eleitoral“, disse Mendonça. “As recentes importantes disputas, nesse estágio de pré-campanha e de distância para a eleição, tinham 1 quadro muito aberto.”

O ministro disse que tem conversado pessoalmente com os presidentes do PP, senador Ciro Nogueira (PI), Solidariedade, deputado Paulinho da Força, e do PSD, ministro Gilberto Kassab (SP). Segundo o ministro, não é possível “definir qual será a estratégia do PSD”, mas há conversas sobre o apoio ao DEM.

PT E LULA

Sobre o Partido dos Trabalhadores, Mendonça seguiu o discurso já difundido por Rodrigo Maia, de que as eleições não serão definidas por extremos. “Eu não acredito nos extremos de Bolsonaro e Lula, acho que a virtude será para 1 centro político mais moderado, uma postura liberal democrática”, disse. “O brasileiro não quer confusão, depois do impeachment, a maior crise da história do Brasil, o brasileiro não vai querer 1 caminho que gere mais incerteza e insegurança.”

Mendonça também criticou a declaração da presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PR), de que para prender Lula “vai ter que matar gente“. “Lula vai afetar o quadro político fortemente, mas não acredito em 1 PT radicalizado”, disse. “Pregando como pregou a presidente do PT, mesmo que por figura de linguagem, foi absolutamente abominável o que foi dito.”

AUMENTO DE BANCADA

Desde o início de 2017, o DEM faz 1 esforço para aumentar suas bancadas no Congresso. O DEM quer passar de 35 para 45 deputados nas próximas eleições. Em novembro, 9 deputados se filiaram à legenda, deixando o PSB.

Mendonça confirmou a informação de que o adiamento da convenção do DEM foi 1 pedido de Rodrigo Maia. Inicialmente, o presidente da legenda, senador José Agripino Maia (RN), havia convocado a convenção para o início de fevereiro.
O ministro da Educação, Mendonça Filho, é 1 dos principais articuladores para que Rodrigo Maia concorra ao Planalto em 2018 © Sérgio Lima/Poder360 – 18.jan.2018

Fonte: Poder360
Por: PALOMA RODRIGUES