Em convenção, REDE cogita candidatura ao governo do Estado em 2018 - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

25/11/2017

Em convenção, REDE cogita candidatura ao governo do Estado em 2018

Partido elaborou carta de apoio a Marina Silva © Divulgação 

O diretório regional do REDE Sustentabilidade realizou na manhã deste sábado (25) sua convenção estadual, no plenarinho da Câmara, e além de anunciar possibilidade de ter candidato ao governo do Estado em 2018 também elaborou um documento de apoio a Marina Silva.

O REDE vê na ex-senadora Marina Silva, que disputou a eleição presidencial em 2014, o grande nome para alavancar o partido e as ideias da sigla no pleito do próximo ano.

Tatiana disse que Marina Silva é a candidata para tomar 'as rédeas' da nação © Cleber Gellio 

“Ela é uma liderança muito forte. Uma pessoa com decência, moralidade e ética para governar o país e tomar as rédeas da situação”, disse a porta-voz do partido em Mato Grosso do sul, a advogada Tatiana Ujavow.

O vereador da Capital, Eduardo Romero, disse que ainda não foram definidos nomes para processo eleitoral em 2018, mas frisou que ele próprio e Tatiana podem ser candidatos aos cargos em disputa.

© Divulgação 

Outro ponto discutido no encontro foi a abertura do partido a pessoas que desejem ingressar no universo político. O REDE, disse Romero, estipulou, por exemplo, apenas uma reeleição a seus filiados na disputa por um cargo eletivo. “É preciso quebrar a ideia de que política é profissão”, frisou.

Atualmente o partido tem 113 filiados distribuídos em 24 municipais de Mato Grosso do Sul, com comissões provisórias em 11 cidades.

Outro porta-voz da sigla, Carlos Zanin Júnior, destacou que o no REDE as decisões político-partidárias são horizontais, tomadas em consenso e unidade. Segundo ele, a legenda quer a valorização do ser humano e espera apresentar seus ideais no pleito de 2018, com número expressivo de candidatos.

A convenção do REDE também definiu os representantes sul-mato-grossenses, com direito a voz e voto, na reunião da Executiva Nacional, marcada para janeiro do próximo ano, que deve sacramentar a escolha de Marina Silva como presidenciável da sigla.

Fonte: Midiamax
Por: Ludyney Moura e Clayton Neves