Deputados fazem primeira audiência sobre reforma na terça-feira - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

11/11/2017

Deputados fazem primeira audiência sobre reforma na terça-feira

Projeto enviado pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) está em tramitação na Assembleia

Deputados realizam evento na próxima terça-feira (Foto: Assessoria/ALMS)
Os deputados estaduais realizam, na próxima terça-feira (14), a partir das 13h30, a primeira audiência pública para discutir a reforma da previdência. O evento será realizado na sede da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de MS), localizado na rua 26 de Agosto, no bairro Amambaí.

O evento proposto pelo deputado Amarildo Cruz (PT) quer dar espaço para que sindicalistas e representantes das categorias, possam emitir posição sobre o projeto enviado pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB). A realização da audiência conta com o apoio da Fetems e Fórum dos Servidores.

Serão convidados representantes da sociedade civil e os órgãos públicos responsáveis, por cuidar da previdência social no Estado. O deputado disse que os servidores querem entender os cálculos sobre o rombo da previdência e porque se chegou a esta situação, em Mato Grosso do Sul. No fim do evento deve se definir uma posição sobre o projeto em trâmite na Assembleia.

Reuniões - O presidente da Assembleia, o deputado Junior Mochi (PMDB), também já colocou à disposição, desde semana passada, a sala da presidência, para que as bancadas façam reuniões com os servidores e categorias, além de requisitar a vinda de representantes do governo estadual, para explicar o projeto.

O líder do governo, o deputado Rinaldo Modesto (PSDB), também adiantou que tanto os secretários, como o diretor-presidente da Ageprev (Agência Estadual da Previdência), estão a disposição dos deputados e servidores, para esclarecer dúvidas sobre a reforma. "É só agendar que eles vão comparecer aqui, não tem problema".

Projeto - A proposta enviada pelo governador Reinaldo Azambuja prevê um aumento na contribuição de 11% para 14% aos servidores e de 22% para 28% para o patronal. Também vai unificar os fundos da previdência, para melhorar o controle e administração dos recursos e assim fortalecer a Ageprev (Agência Estadual da Previdência).

Outra mudança é que para os novos servidores que entrarem depois da reforma, terão um teto definido para aposentadoria de R$ 5,2 mil, estipulado pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Quem quiser receber a mais do que esta quantia, deverá aderir a um contribuição complementar ou buscar a previdência privada.

Fonte: campograndenews
Por: Leonardo Rocha