Deputado Cabo Almi vota contra projeto de governo que penaliza servidores e denuncia perseguição aos militares - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

22/11/2017

Deputado Cabo Almi vota contra projeto de governo que penaliza servidores e denuncia perseguição aos militares

© Divulgação/ALMS
Em pronunciamento da tribuna da Assembleia Legislativa, o deputado Cabo Almi(PT) protestou contra as atitudes do governo Reinaldo Azambuja, PSDB, por determinar sua base parlamentar votar no projeto que penaliza mais uma vez todos os servidores públicos do Estado, taxando-os em mais 3% a contribuição previdenciária e perseguindo os dirigentes sindicais e de associações profissionais com instauração de sindicâncias contra policiais militares, numa tentativa de amedrontá-los e prejudicá-los em suas funções e futuras promoções.

Mesmo diante dos protestos da bancada do PT – Partido dos Trabalhadores, os deputados da base do governo aprovaram em primeira discussão o projeto que veio da CCJ de forma escalonado com aumento de 11% para 14% até o ano de 2020.

Cabo Almi aproveitou o momento e condenou as atitudes do governo do estado por perseguir servidores ligados as associações representativas que estão lutando pelos seus direitos e pelos direitos dos seus associados. 

Entre os perseguidos com sindicâncias internas estão os militares, Coronel PM Alírio Villasanti Romero, Presidente da Associação dos Oficiais Militares do Estado de Mato Grosso do Sul, o Soldado PM da reserva remunerada e Presidente da ACS - Associação de Cabos e Soldados da PM e Bombeiros Militares, Edmar Soares da Silva e o 1º Tenente Thiago Mônaco Marques, presidente da ABSSMS – Associação dos Subtenentes, Sargentos e Oficiais Oriundos do Quadro de Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do MS.

O parlamentar entende que esse tipo de perseguição aos representantes dos militares da ativa e da reserva, só serve para aumentar a indignação da tropa e de todos os servidores que lutam por direitos adquiridos de uma aposentadoria digna custeada pela Ageprev (Agência Estadual de Previdência Social).

Cabo Almi reafirma seu compromisso de continuar defendendo os militares e todos os servidores que contribuem mensalmente para a previdência e o fortalecimento da maquina estadual. Não vamos aceitar de olhos vendados esse governo do PSDB desmontar o Estado e a Ageprev usando os servidores como escudo. Não podemos e não aceitamos que esse governo tome conta do caixa da previdência dos servidores e deixe a conta para os próximos governos pagarem, concluiu o parlamentar.

Fonte: ASSECOM