Câmara dá posse e Marcelo Aguilar Iunes se torna prefeito de Corumbá - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

01/11/2017

Câmara dá posse e Marcelo Aguilar Iunes se torna prefeito de Corumbá

Vice-prefeito substitui o então chefe do Executivo, Ruiter Cunha, que morreu na madrugada desta quarta-feira

Marcelo Aguilar Iunes, à esquerda, com Ruiter Cunha. (Foto: Diário Corumbaense/Arquivo).
Marcelo Aguilar Iunes (PTB), até então vice-prefeito de Corumbá, já tomou posse do cargo de prefeito da cidade, conforme o presidente da Câmara Municipal, vereador Evander Vendramini (PP).

A posse acontece em virtude do falecimento do então chefe do Executivo, Ruiter Cunha de Oliveira (PSDB), na madrugada desta quarta-feira (1º). Ele morreu após passar por cirurgia para corrigir uma ruptura na orta abdominal.

"Soubemos (oficialmente) do falecimento pelo secretário de Governo, já com o atestado de óbito. E o regimento interno da Câmara fala que eu tenho de declarar a vacância e imediatamente convocar o vice", afirma, explicando que a posse é meramente obrigatória, não festiva.

Vendramini explica que a relação entre os vereadores e Ruiter era "muito boa" e que Corumbá hoje está "consternada". "Era uma liderança nata de Corumbá. Ninguém chega ao terceiro mandato de outra forma. A cidade está consternada. Perdemos um filho da terra".

Marcelo, agora prefeito, segundo o presidente, segue para a prefeitura de Corumbá. O primeiro ato dele já como chefe do Executivo será assinar o decreto de luto oficial da cidade branca.

A Câmara Municipal de Corumbá decretou luto e lamentou a morte do prefeito, afirmando que a trata-se de uma perda para a população corumbaense. “Foi com imenso pesar que recebemos a notícia do falecimento do prefeito Ruiter, com quem tivemos uma boa convivência nestes primeiros 10 meses do ano, sempre buscando o desenvolvimento de nossa cidade, o bem-estar da população”, diz a nota.

Perfil

Marcelo Aguilar Iunes tem 47 anos e é do PTB. Disputou o cargo de vice-prefeito de Corumbá, em 2016, ao lado do então prefeito Ruiter Cunha. É farmêucito bioquímico, conforme seu registro eleitoral da campanha passada.

Iunes foi vereador da cidade branca por três mandados e tentou, em 2014, vaga de deputado estadual. Não foi eleito, mas ficou como primeiro suplente com 13.124 votos.

O novo prefeito e Ruiter foram denunciados pelo Ministério Público por abuso de poder econômico, por suposta utilização indevida de veículos ou menos de comunicação e compra de votos. A Justiça, no entanto, julgou improcedente o pedido.

A reportagem tentou contato com Marcelo, mas a ligação não foi atendida.

Vida política 

Eleito prefeito em 2004 pelo PT, Ruiter nasceu em Corumbá no dia 24 de janeiro de 1964 e lá fez seu berço político, tanto que foi reeleito em 2008 e, em 2012, viu o PT eleger Paulo Duarte como seu sucessor na prefeitura.

Antes de político, Ruiter era auditor fiscal do Estado. No período em que José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT, foi governador, Ruiter chegou a ocupar o cargo de superintendente de Administração Tributária.

Em 2014, ele foi candidato a deputado federal, tendo recebido 18.502 votos. A 26ª posição nas urnas garantiu a ele a primeira suplência da coligação. Porém, em 2015, alegando perseguição no partido, Ruiter se desfiliou do PT e foi parar o PSDB, onde contou com o apoio do governador Reinaldo Azambuja.

Com o apoio tucano, Ruiter conseguiu ser eleito em 2016 prefeito de Corumbá pela terceira vez. Ele derrotou nas urnas justamente Paulo Duarte, que também saiu do PT, mas foi para o PTB. Esse era o primeiro ano de Ruiter à frente do novo mandato como prefeito de Corumbá, tendo como vice-prefeito Marcelo Iunes (PTB).

Fonte: campograndenews
por: Mayara Bueno