Brasileiro preso por terrorismo na Ucrânia vai ser julgado nesta terça - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

14/11/2017

Brasileiro preso por terrorismo na Ucrânia vai ser julgado nesta terça

Rafael Lusvarghi havia lutado contra tropas ucranianas ao lado de militares rebeldes. Ele foi preso no aeroporto, em 2016, quando tentava retornar para a Ucrânia

© Unsplash
Um brasileiro suspeito de terrorismo, preso na Ucrânia há pouco mais de um ano, deve ser julgado nesta terça-feira (14) pelo Tribunal de Kiev, capital do país. Rafael Lusvarghi havia sido condenado em janeiro passado a 13 anos de prisão; porém, devido a irregularidades no processo a sentença foi anulada e ele será julgado mais uma vez. 

Hoje com 32 anos, o ex-combatente separatista havia lutado contra as tropas ucranianas ao lado de militares rebeldes, entre setembro de 2014 e outubro de 2015, segundo informações do G1.

O lado pelo qual o brasileiro lutou defendia a independência política de dois territórios da Ucrânia, com a pretensão de fundar a República Popular de Donetsk (RPD) e a República Popular de Lugansk (RPL). Ele se declara inocente, mas segundo a lei ucraniana a sua luta contra o país é classificada como terrorismo.

Após o fracasso da empreitada separatista, o suposto combatente retornou ao Brasil na época do cessar fogo. Pouco tempo depois, resolveu voltar à Ucrânia para trabalhar como segurança nos navios daquele país no Chipre, país banhado pelo mar Mediterrâneo. Ao tentar desembarcar no Aeroporto Internacional de Kiev-Borispol, ele acabou sendo preso pelo serviço secreto em 6 de outubro do ano passado. A ação foi filmada e o brasileiro foi apresentado pela polícia local como terrorista, “mercenário” e “assassino profissional”.

“Sou inocente de qualquer crime”, teria argumentado o suspeito numa das cartas escritas na prisão, cujo trecho foi publicado pelo portal. A defesa do acusado alegou diversas ilegalidades no julgamento ocorrido em janeiro, como a ausência de um tradutor para a língua portuguesa, falta de comunicação da detenção do réu aos familiares e suspeitas de maus tratos praticados contra o brasileiro.

A sentença foi anulada em 17 de agosto deste ano pelo Tribunal de Apelação de Kiev, que determinou um novo julgamento no prazo máximo de 60 dias. O prazo terminou no dia 15 de outubro, mas diante do pedido de soltura do advogado de Rafael Lusvarghi um novo julgamento foi remarcado pelo Tribunal do Distrito Petcherski para esta terça-feira (14). A audiência será acompanhada por representante do setor consular da Embaixada do Brasil em Kiev.

Fonte: NAOM