A quatro meses do prazo limite, 400 mil precisam fazer biometria na Capital - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

18/11/2017

A quatro meses do prazo limite, 400 mil precisam fazer biometria na Capital

Quem perder o prazo terá o título de eleitor cancelado

© Divulgação
Faltando pouco mais de quatro meses para o término da revisão eleitoral, quase 400 mil eleitores de Campo Grande ainda não procuraram a Justiça Eleitoral de Mato Grosso do Sul para fazer cadastramento biométrico. Até o dia 18 de março todos os eleitores da Capital devem realizar o procedimento, para que não tenha o título cancelado.

Mesmo com o final do prazo ainda distante, a Justiça Eleitoral orienta que o eleitor procure, o quanto antes, algum posto de atendimento para evitar transtornos e filas. Com um total de 590.406 eleitores, Campo Grande atualmente possui cerca de 190 mil eleitores cadastrados pelo modo biométrico.

Além de não votar nas próximas eleições, o eleitor com título cancelado pode enfrentar vários problemas, como ficar impedido de tirar documentos, renovar matrícula em instituições públicas de ensino, bem como outras várias consequências que podem ser conferidas clicando aqui.

Para fazer o cadastro biométrico, é necessário apresentar o original de um documento oficial de identificação com foto e original do comprovante de residência atualizado. Homens maiores de 18 anos que irão tirar o título pela primeira vez, devem também apresentar o comprovante de quitação do serviço militar, com cópia.

Os atendimentos ocorrem na Central de Atendimento do Eleitor, no Parque dos Poderes, e com número de atendimento diário limitado no Fácil General Osório, Fácil Guaicurus, Fácil Aero Rancho e CIJUS. Para agendamentos ou mais informações, basta clicar aqui.

O cadastro também pode ser feito no prédio do Memorial da Cultura, na Avenida Fernando Corrêa da Costa, 559, com capacidade para 1800 atendimentos diários. O local atende de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h e aos sábados, das 8h às 14h.

Fonte: Midiamax
por: Richelieu Pereira