Pesquisa coloca Pedro Chaves entre os 15 melhores senadores do Brasil - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

23/10/2017

Pesquisa coloca Pedro Chaves entre os 15 melhores senadores do Brasil

Com apenas 1 ano e 5 meses de mandato, o senador professor Pedro Chaves

© Divulgação
(PSC-MS) ficou entre os 15 melhores senadores do Brasil, segundo levantamento divulgado pelo site Congresso em Foco, que acompanha e avalia o trabalho dos parlamentares no Congresso Nacional.

Na edição 2017 do Prêmio Congresso em Foco, os parlamentares receberam avaliação de três setores: um júri formado por representantes das áreas empresarial, trabalhista e acadêmica, jornalistas que cobrem diariamente as atividades do Congresso e o público em geral, que votou através da Internet. Somente na votação da internet foram validados 1.034.683 votos, dados por 130.113 pessoas entre 1º e 30 de setembro. Participaram da escolha da imprensa 73 jornalistas de 45 veículos de comunicação.

“Recebo este resultado como fruto do trabalho que faço em defesa dos interesses de Mato Grosso do Sul e do Brasil. Participo de onze comissões temáticas do Senado, nas quais são discutidos os principais problemas da nação. Além disso, sempre encontro tempo para buscar, nos diferentes ministérios, recursos para o meu Estado. Este reconhecimento serve como estímulo para que eu de me dedique cada vez mais à essa luta”, declarou Pedro Chaves.

O site Congresso em Foco é um veículo jornalístico que faz uma cobertura apartidária do Congresso Nacional e dos principais fatos políticos de Brasília, com o objetivo de auxiliar o eleitor a acompanhar o desempenho dos parlamentares. Embora não tenha vinculação com partidos, apoia causas que considera de interesse geral, como a defesa da democracia e dos direitos humanos (em especial, de grupos discriminados como as mulheres, os negros, indígenas e a população LGBT); a luta contra as desigualdades sociais e regionais e o combate à corrupção. O objetivo é contribuir para melhorar a qualidade da representação política no país.

Fonte: ASSECOM