Corpo é encontrado decapitado e polícia suspeita de guerra entre facções - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

08/10/2017

Corpo é encontrado decapitado e polícia suspeita de guerra entre facções

Vítima foi encontrada enrolada em um colchão no Indubrasil

Corpo foi encontrado em uma estrada vicinal no Indubrasil (Foto: Direto das Ruas)
Um corpo decapitado foi encontrado em uma entrada vicinal na região do Indubrasil na noite deste sábado (7), em Campo Grande. A vítima, identificada como Rudnei da Silva Rocha, de 22 anos, estava desaparecida há pelo menos um dia e a polícia suspeita que a execução tenha sido motivada por acerto de contas entre facções.

Rudnei, conhecido como Babid, foi encontrado por volta das 22 horas, em uma estrada de vicinal, próximo a um curtume do Indubrasil. O corpo estava enrolado em um colchão, separado da cabeça.

Segundo o delegado plantonista da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro, Enilton Pires Zalla, moradores da região acionaram a Polícia Civil. Assim que os investigadores chegaram ao local, reconheceram Rudnei da Silva Rocha.


Segundo o delegado Enilton Zalla, a polícia já identificou suspeitos
 pelo crime (Foto: André Bittar)
O delegado explicou que um dia antes, familiares do rapaz procuraram a polícia para relatar o desaparecimento de Babid e por isso o caso já era investigado. Antes mesmo de encontrarem o corpo, as equipes de investigação trabalhavam com a hipótese de execução. O motivo: a guerra entre facções.

“Pela minha experiência e pelo que foi apurado até o momento, a execução pode ser motivado por envolvimento com facções criminosas”, explicou Zalla. Sem falar em siglas, o delegado afirmou que a suspeita é de que um grupo criminoso tenha descoberto a participação de Rudnei em uma facção rival.

Os peritos não encontraram vestígios de sangue, o que confirma a suspeita de que a vítima foi assassinada em outro local e deixada na estrada vicinal. Ainda conforme Zalla, Rodnei foi assassinado cerca de seis horas antes e apresentavam sinais de tortura. “Possivelmente ele foi torturado antes de morto”.

Rudnei possuia uma longa ficha criminal com passagens por tráfico de drogas e furto. Equipes da Polícia Civil realizam buscas por possíveis suspeitos, já identificados. Mas detalhes não foram divulgados para não atrapalhar as investigações.

2º caso – No dia 30 de setembro, o corpo de um jovem de 18 anos foi encontrado carbonizado e sem cabeça no aterro sanitário de Campo Grande. A vítima foi identificada como Leoni de Moura Custódio, que estava desaparecido há dois dias.

Ainda não há detalhes sobre o caso, nem a motivação do crime. De acordo com o pai da vítima, Reinaldo Custódio da Silva, 48 anos, Leoni estava em Campo Grande há cerca de 15 dias quando desapareceu. “Acabei no IMOL onde fui informado sobre um corpo. Fizemos o reconhecimento pela digital e o que mais temia se concretizou: era o Leoni”, afirma.

Esquartejado - No dia 15 de agosto desde ano, a guerra entre PCC e Comando Vermelho matou Fernando Nascimento dos Santos. Ele foi encontrado esquartejado na rua Engenheiro Paulo Frontim, 150 metros do anel viário, no Jardim Los Angeles, em Campo Grande.

O jovem é morador de Nova Alvorada do Sul e foi identificado pela família, depois que fotos do corpo esquartejado vazaram na internet.

Em vídeo com pouco mais de 15 segundos, que circularam pela internet na época, o jovem aparece sentado em uma cadeira, aparentemente dopado, e diz: "Peço desculpa a todo o Primeiro Comando da Capital, que eu conheci o verdadeiro crime agora, não igual aqueles lixo lá. Tamo junto, agora com o 1533" (sic).

O número 1533, de acordo com a ordem em que as lestras aparecem no alfabeto, significa PCC, o que leva a suspeita de envolvimento da facção na morte do rapaz.

Fonte: campograndenews
Por: Geisy Garnes e Guilherme Henri