Postos de pedágio na BR-163 terão reajuste a partir de quinta-feira - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

11/09/2017

Postos de pedágio na BR-163 terão reajuste a partir de quinta-feira

Aumento veio dias depois de a empresa anunciar que retomaria a duplicação, paralisada desde abril

ANTT autorizou reajuste a partir de 14 de setembro, (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)
Os nove pontos de pedágio na BR-163, administrada pela concessionária CCR Ms Via, terão reajuste a partir de quinta-feira (dia 14). A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) publicou resolução hoje (dia 11), no Diário Oficial da União, oficializando o aumento.

O valor aumentou entre quarenta e cinquenta centavos. Em Mundo Novo, a tarifa passa de R$ 4,60 para R$ 5. Em Itaquiraí/Naviraí, o valor aumenta de R$ 6,50 para R$ 6,90. No município de Caarapó, passa de R$ 6,50 para R$ 7,00. Em Rio Brilhante, a tarifa sobe de R$ 6,60 para R$ 7,00.

Em Campo Grande, o preço sobe de R$ 7,40 para R$ 7,80. No posto de Jaraguari, o aumento é de R$ 5,60 para R$ 6,00. Na cidade de São Gabriel do Oeste, o valor passa de R$ 5,50 para R$ 5,90. Em Rio Verde, aumenta de R$ 7,30 para R$ 7,80. No município de Pedro Gomes, sobe de R$ 5,40 para R$ 5,80.

Caso um carro passe por todos os postos de pedágio, de Mundo Novo a Pedro Gomes, o gasto, atualmente, é de R$ 55,40. Com os novos valores, sobe para R$ 59,20.

O aumento veio dias depois de a empresa anunciar que retomaria a duplicação, paralisada desde o dia 12 de abril. Na ocasião, ao suspender os trabalhos, a CCR MS Via pediu a revisão da estrutura econômico e financeira do contrato a longo prazo e duplicação somente em alguns pontos. Ou seja, o contrato poderia completar os 30 anos sem que toda a rodovia tenha sido duplicada.

Até abril, foram duplicados 138 quilômetros da rodovia. A empresa aguarda edição da Medida Provisória sobre o alongamento do prazo de conclusão das obras, renegociação de financiamento com liberação de mais recursos e licenças ambientais.

Fonte: campograndenews
Por: Aline dos Santos