Lançado edital do programa Família Acolhedora na comarca de Coxim - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

26/09/2017

Lançado edital do programa Família Acolhedora na comarca de Coxim

© Divulgação
O Serviço de Acolhimento Familiar já é realidade em Coxim. Foi na noite desta segunda-feira (25), no plenário da Câmara Municipal, a solenidade de lançamento do edital para inscrição dos interessados em ser Família Acolhedora. Assim, nos próximos dias serão recebidas as inscrições dos pretendentes e, posteriormente, selecionadas e capacitadas até oito famílias que atenderão a demanda do município. 

Foi convidado a participar do evento o juiz Deni Luis Dalla Riva, da 2ª Vara de Camapuã, Comarca onde o Acolhimento Familiar existe há muitos anos. Referência nacional quando o assunto é família acolhedora, o juiz conta que ficou feliz com o convite para participar da festa de lançamento para implantação de um programa tão significativo para a área da infância.

Deni lembra que está descrito no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) desde 2009 - para não mencionar a previsão na Constituição desde 1988 - que toda a criança quando afastada de sua família tem direito de ser acolhida por outra família, direito que se sobrepõe aos demais modos de acolhimento.

“Essa outra família, previamente selecionada, treinada, remunerada e amparada constantemente pela rede, poderá oferecer, no aconchego de seu lar, o carinho e a segurança que a criança tanto carece naquele momento difícil de sua vida. O atendimento individual, a inclusão na rotina da família, a presença constante de um cuidador, o sentimento de pertencimento, a possibilidade de vida comunitária efetiva são fatores que fortalecem a criança, dando-lhe experiências positivas enquanto aguarda respostas definitivas sobre seu futuro”, explicou.

Convidado a participar de eventos que envolvem o tema família acolhedora, em razão do excelente trabalho que realiza na comarca de Camapuã, o juiz ressaltou que Mato Grosso do Sul está, proporcionalmente, acima da média nacional, pois há vários municípios que executam o serviço de acolhimento familiar e outros tantos em fase de implantação.

“Acolhimento familiar hoje é prioridade. As Instituições de Acolhimento, antigos abrigos, passaram para segunda opção. Não se trata de gosto pessoal por uma ou outra forma de acolhimento. Trata-se de cumprimento ao que dispõe o ECA. E este é expresso ao referir que o acolhimento familiar terá preferência ao acolhimento institucional. Está mais do que na hora de que crianças vitimizadas em seus lares aguardem com conforto a desfecho de seus casos. E essa situação de conforto individualizada, afetiva, emocional, revigorante somente pode ser obtida no seio de outra família. Coxim, assim como outras comarcas de MS, está nessa trilha. Os profissionais estão motivados e a comunidade mobilizada, é a receita perfeita”, finalizou.

Além de outras autoridades (prefeito de coxim, promotora da infância., vereadores, Bispo Dom Antonino), prestigiaram a fala do juiz de Camapuã, os juízes Cláudio Muller Pareja, da 1ª Vara Cível de Coxim, e Helena Alice Coelho Machado, da 2ª Vara Cível de Coxim.

Fonte: ASSECOM