Comerciantes do Brasil e Paraguai se unem para fazer 'Black Friday Fronteira' com descontos de até 50% - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

07/09/2017

Comerciantes do Brasil e Paraguai se unem para fazer 'Black Friday Fronteira' com descontos de até 50%


Expectativa é que 100 mil pessoas passem por Ponta Porã e Pedro Juan Caballero até domingo e gastem US$ 30 milhões.



Em shopping em Pedro Juan Caballero, no Paraguai, consumidores formaram longas filas, antes mesmo da abertura, para aproveitarem as ofertas do 'Black Friday Fronteira' (Foto: Martim Andrada/TV Morena)

Pelo sexto ano consecutivo comerciantes brasileiros da cidade de Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul, e da vizinha, Pedro Juan Caballero, no Paraguai, se uniram para fazer uma temporada de promoções na região de fronteira.

Chamado de “Black Friday Fronteira” o evento começou no feriado desta quinta-feira (7) e vai até domingo (10). Estão participando 65 lojas paraguaias e 30 brasileiras.

As entidades promotoras do evento, a Associação Comercial e Empresarial de Ponta Porã e a Câmara de Indústria, Comércio e Turismo de Pedro Juan Caballero, estão esperando que 100 mil pessoas passem pela região nestes quatro dias e gastem US$ 30 milhões, o equivalente a R$ 93 milhões, na cotação desta quinta-feira.

Além de aumentar as vendas do comércio local, o “Black Friday Fronteira” também tem o objetivo de divulgar as marcas e as lojas participantes, além de movimentar a economia da região, em hotéis, restaurantes e postos de combustíveis.

Em um shopping no Paraguai, ainda estava amanhecendo nesta quinta-feira e já havia uma longa fila de consumidores na porta do estabelecimento. Algumas pessoas chegaram ao local por volta das 5h.

O estabelecimento colou 50 mil produtos em promoção, com descontos que chegam à metade do preço. Entre os itens mais procurados estão os eletrônicos.

Na fila havia pessoas de vários estados do Brasil. Algumas viajaram centenas de quilômetros para aproveitarem as promoções. A comerciantes Luciana Sentoma, por exemplo, rodou 700 quilômetros do interior de São Paulo até Pedro Juan Caballero.

Ela aproveitava o tempo na fila enquanto o shopping não abria para pensar na lista de compras, mas antecipava alguns itens obrigatórios na relação, como maquiagem e óculos. “O que der para comprar nos levaremos”, disse.

Quando o shopping abriu houve até congestionamento de carrinhos. O motorista de aplicativo Márcio Daniel Gomes, de Campo Grande, foi um consumidores que aproveitou a oportunidade. Ele comprou por R$ 1,6 mil uma televisão de 49 polegadas. “Em Campo Grande eu pagaria em uma TV menor, de 42 polegadas, um preço maior, R$ 1,9 mil”, disse.



Fonte: G1
Por Martim Andrada, TV Morena