ANTÔNIO JOÃO| Governo Municipal realiza audiência para discutir segurança pública - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

26/09/2017

ANTÔNIO JOÃO| Governo Municipal realiza audiência para discutir segurança pública

Audiência Pública proposta pelo Governo Municipal reuniu autoridades civis e militares em Antônio João © Serginho Bazzano 
O Governo Municipal de Antônio João realizou audiência pública nesta segunda-feira, dia 25, para discutir a segurança pública no município. O aumento da criminalidade vem causando preocupação e diante da situação toda a sociedade foi convidada para discutir juntamente com as autoridades civis e militares meios para conter a escalada da violência, principalmente com o crescimento dos índices de furtos e roubos.

De acordo com o secretário municipal de Governo, Afrânio Marques, autor da sugestão para o debate público da segurança pública, o evento se tornou um marco na história do município porque reuniu as autoridades para uma discussão aberta com todos os segmentos da sociedade antônio-joanense. Após as explanações dos representantes dos poderes executivo e legislativo e do comando da Polícia Militar e delegacia de Polícia Civil, as pessoas puderam fazer livremente suas críticas e sugestões.

Afrânio Marques destacou que é preciso fazer estudos para compreender a dinâmica da criminalidade. “E somente com um diagnóstico desta situação nas mãos é que poderá ser feita uma proposta para resolver o problema, reunindo os gestores na elaboração de um Plano Municipal de Segurança Pública, contando com a efetiva participação da sociedade civil na discussão dos problemas”, disse.

O Governo Municipal sugeriu para a comunidade a criação de um Conselho Comunitário de Segurança Pública. O Conselho seria um elo de comunicação entre a população e as agências responsáveis pela segurança pública no âmbito local. Os gestores das organizações policiais ouvem as questões apresentadas e adotam as providências necessárias.
População lotou o auditório do Paço Municipal para discutir segurança pública em audiência proposta pelo Governo Municipal © Serginho Bazzano
Uma outra sugestão é para criação do Fórum Municipal de Segurança Pública, através do qual podem ser discutidas estratégias para atuação, atuando na construção de uma política municipal preventiva na segurança pública. No Fórum também poderão ser identificadas as demandas da população, com ação participativa e orientadora para adoção de medidas que realmente sejam de interesse público.

E a terceira sugestão do Governo Municipal é para a implantação do Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM), através do qual poderão ser desenvolvidas ações de prevenção e repressão ao crime de forma integrada entre as policias, o judiciário e o ministério público. Juntos estes órgãos poderão discutir a dinâmica da criminalidade, elaborando um plano de ação integrado com novas estratégias de atuação.

Durante a audiência o comandante do Pelotão da Polícia Militar em Antônio João, Tenente Sato, apresentou um balanço dos trabalhos desenvolvidos nos últimos dias no município. Mostrou que o policiamento está sendo intensificado, muitos produtos furtados foram recuperados e vários delinqüentes foram presos. 
Comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Waldomiro Centurião, respondeu aos questionamentos da sociedade © Serginho Bazzano 
Já o comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar, Tenente-Coronel, Waldomiro Centurião, destacou o comprometimento da Polícia Militar com a comunidade. “Estamos trabalhando com inteligência, fizemos diagnóstico da situação e agora estamos dando resposta ao clamor público. Nossas ações são planejadas e executadas dentro de uma estratégia operacional no sentido de identificar e prender os elementos nocivos à sociedade”. Centurião pediu a colaboração da comunidade no sentido de denunciar os crimes. “Quem faz a denúncia não é identificado e somente dessa forma estará colaborando com as nossas ações”, destacou.

A delegada de Polícia Civil, Sueyli Araújo Lima Rocha, titular da Delegacia de Antônio João, disse que a polícia está fazendo o trabalho, mas muitas vezes o elemento é preso e logo é liberado pela justiça. “A manutenção da prisão hoje se tornou caso excepcional. Muitos dos que são presos são liberados já na audiência de custódia, que é um tipo de audiência para limpar presídios”, ressaltou.

Os vereadores presentes na audiência pública: Ramão Waldir (presidente da Câmara Municipal), Élio Custódio (Macaco), Marcelo Pé, Adriano Brum, Rosarinho, Renato Viana e Luiz Pistão, também fizeram questionamentos e destacaram que o poder legislativo municipal atua em conjunto com o Governo Municipal na busca de uma solução para o setor de segurança pública no município.
Prefeita Márcia Marques destacou que desde o início do seu mandato vem reivindicando melhorias para a segurança pública © Serginho Bazzano
A prefeita Márcia Marques ao fechar a audiência pública agradeceu a presença e a colaboração dos vereadores, a comunidade que compareceu em massa para debater a segurança com as autoridades, e os representantes da Polícia Militar e Polícia Civil de Mato Grosso do Sul. “Desde o início do nosso mandato que estamos solicitando melhorias para a segurança da nossa cidade. Já falamos com o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, com o Governador do Estado, com o comando do DOF e da Polícia Militar e vamos continuar este trabalho de parceria para que juntos possamos garantir a tranqüilidade das famílias que vivem aqui em Antônio João”, enfatizou.

PARTICIPAÇÃO

Durante a audiência pública a comunidade pode se manifestar fazendo questionamentos diretamente às autoridades presentes. Uma senhora relatou que em seu bairro ocorreu uma festa até altas horas regada a bebidas e que os participantes se divertiam disparando tiros para o alto e que demorou a ser atendida pela Polícia Militar. O comandante disse que os seus comandados estão orientados a prestar serviços de qualidade e que reclamações poderão ser feitas diretamente no comando do 4º Batalhão de Polícia Militar em Ponta Porã.

Um servidor público aposentado solicitou mais eficiência no atendimento às reclamações da população. Ele citou o caso de um boteco nas imediações da sua residência que fica aberto até altas horas com os frequentadores abusando do som e promovendo algazarras. Também sugeriu fiscalização no trânsito com relação aos caminhões estacionados próximo às esquinas, o que acaba atrapalhando a visão dos motoristas de carros de passeio. 

Já um sindicalista fez alerta à população sobre os riscos de comprar produtos oriundos de furtos. Ele lembrou que receptação é crime e que algumas pessoas não estão se importando com isso, o que acaba incentivando o marginal a continuar roubando. O diretor de uma escola elogiou o trabalho desenvolvido pela Polícia Militar no município e ressaltou que todas as vezes que solicita o policiamento é muito bem atendido.

Fonte: ASSECOM