‘Não pode me prender, sou filho de juiz’, diz jovem após batida da PM em conveniência - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

06/08/2017

‘Não pode me prender, sou filho de juiz’, diz jovem após batida da PM em conveniência

PM foi chamada por causa de som automotivo

© Divulgação
Um jovem de 23 anos acabou preso por desobediência e perturbação de tranquilidade após tentar impedir o trabalho da PM em uma conveniência da Rua Euclides da Cunha, na madrugada deste sábado (6). A polícia foi chamada pelo dono do estabelecimento por causa de som automotivo, que é proibido no local, momento em que o rapaz afirmou que ninguém o prenderia por ser filho de juiz.

Conforme o boletim de ocorrência, o som era ouvido pela equipe antes mesmo da chegada no local. Dois veículos, um Fiast Strada e um VW Gol, reproduziam os sons.

Insistente questionamento e tumulto praticado pelo rapaz de 23 anos iniciaram quando a PM informou que os carros seriam apreendidos e os proprietários conduzidos à Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), do Centro.

Diante da situação, a equipe ordenou que o jovem colocasse as mãos na cabeça para procedimento de busca pessoal, devido a visível alteração do envolvido, momento em que o jovem empurrou os soldados se recusando a obedecer a ordem.

A PM deu voz de prisão ao jovem e precisou usar algemas para conter a reação do envolvido.

Ainda de acordo com o registro policial, mesmo algemado, rapaz teria insultado e menosprezado serviço policial dizendo: “não podem me prender, vocês não tem autoridade para isso, vão pagar caro porque sou filho de juiz e sou advogado, vou processar vocês (sic)”.

Os dois condutores e o rapaz de 23 anos foram levados à Depac. O proprietário da conveniência também compareceu a delegacia e manifestou desejo de representar contra os autores.

A aparelhagem de som foi apreendida e os veículos, Strada e Gol, liberados. Um GM Prisma, que era conduzido pelo rapaz de 23 anos, foi removido, pois não apresentou condutor responsável no local.

Fonte: Midiamax
Por: Danielle Valentim