ARTIGO| O enfraquecimento dos Sindicatos - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

21/08/2017

ARTIGO| O enfraquecimento dos Sindicatos

Por: Victória Ângelo Bacon
O início do enfraquecimento dos sindicatos se deu com a politização exagerada desses em relação ao governo passado de Lula e Dilma. Os sindicatos, em parte deles, serviram de berço esplêndido do governo central, esquecendo-se da luta histórica dos movimentos que reuniam milhões de pessoas e hoje se transformou em utopia: Os sindicatos sequer conseguiram mobilizar seus pares, mesmo na gritante Reforma Trabalhista quiçá em outras Reformas.

O Projeto de Lei (PL) 4.302/1998, que a amplia e generaliza a terceirização pelas empresas foi um dos golpes mais fatiais em desfavor aos sindicatos, Esse projeto, autoriza a contratação de terceirizados para substituir trabalhadores em greve, caso ela seja declaradas abusiva ou atinja serviço considerado essencial. O s sindicatos não conseguiram mobilizar a força que outrora contagiava os brasileiros nas grandes greves dos anos 70, 80 e 90.

O peleguismo sindical que surgiu principalmente após o partido dos trabalhadores assumirem o poder em 2003, não é um fenômeno da natureza, ele tem uma função social que é impedir o desenvolvimento da luta dos trabalhadores. Os trabalhadores mesmos é que devem controlar as suas próprias organizações, independentes dos patrões. Se tem o imposto ou não isso não muda nada. Para acabar com o peleguismo sindical tem que organizar os trabalhadores e acabar com ele e não com o imposto.

A luta da direita que está no poder através do PSDB-PMDB e os partidos do Centrão intensificaram suas forças pelo enfraquecimento dos sindicatos, por isso a começo pelo fim do imposto que era visto como inacabável há alguns anos. Eles sabem muito bem que com isso enfraquecem os sindicatos e não o peleguismo, a luta neste momento é para liquidar com os seus rivais, ou seja, com os trabalhadores e suas organizações. Esse é o fundamento do fim do imposto sindical.

A terceirização combinada com a inimaginável aprovação da Reforma Trabalhista quebra a espinha do sindicato dorsal dos sindicatos, principalmente as Federações que dependem das bases para sobreviver e se organizarem. Nunca é demais recordar que, ao longo da história, os trabalhadores travaram uma árdua luta para legitimar o Sindicato como escudo, diante da desigualdade na relação com o empregador. Esse tempo passou, infelizmente. Os sindicatos se politizaram demais e esqueceram-se de fazer a boa política e partiram para a politicalha. Enquanto os sindicatos não conseguirem mobilizar como outrora, a tendência é se tornarem meros clubes de agremiações vendendo planos de saúde e convênios a seus filiados.