Tribunal de Justiça empossa novos juízes substitutos de MS - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

19/07/2017

Tribunal de Justiça empossa novos juízes substitutos de MS

Juízes substitutos tomaram possem na tarde desta quarta-feira (19) © João Paulo Gonçalves
O presidente do Tribunal de Justiça, Des. Divoncir Schreiner Maran, empossou, na tarde desta quarta-feira (19), os 18 novos juízes substitutos do Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso do Sul.
© Divulgação
A partir de agora, integram o quadro da magistratura sul-mato-grossense os juízes Marcelo da Silva Cassavara, Mário César Mansano, Alan Robson de Souza Gonçalves, Larissa Luiz Ribeiro, Edimilson Barbosa Ávila, Carolinne Vahia Concy, Thielly Dias de Alencar Pithan e Silva, Bruno Palhano Gonçalves, Camila de Melo Mattioli Gusmão Serra Figueiredo, Vinícius Aguiar Milani, Bruna Tafarelo, Diogo da Silva Castro, Diogo de Freitas, Milton Zanutto Jr, Daniel Foletto Geller, Aldrin de Oliveira Russi, Daniel Raymundo da Mata e Juliano Luiz Pereira.

Em nome dos empossados falou Marcelo da Silva Cassavara, afirmando que o ingresso na magistratura sul-mato-grossense será um marco divisor em suas vidas. “Somos conscientes de que o exercício da magistratura exigirá dedicação, extensa jornada de trabalho e muitas noites mal dormidas. Não serão raras as vezes em que o exercício do cargo público não irá pedir escolhas, mas sim renúncias”.

Ele falou ainda sobre o momento que o país atravessa. “Enfrentaremos os desafios de atender aos anseios e as necessidades da população em um momento delicado da história brasileira. As expectativas da população sobre o Poder Judiciário crescem. O Juiz não se restringe à figura do Juiz-Julgador, mas também engloba o Juiz-Gestor, Juiz-Conciliador, dentre outras funções interdisciplinares. Viemos dos mais diferentes estados e o Mato Grosso do Sul a partir de agora será nossa casa. Alguns por nascimento, outros por opção, somos todos sul-mato-grossenses”. 

Em nome do Tribunal de Justiça, a mensagem de boas-vindas ficou sob a responsabilidade do Des. João Maria Lós, que lembrou aos novos juízes não ser preciso ser doutor em Direito para desempenhar a contento a missão para a qual foram talhados, bastando que tenham, ao par de manter o compromisso firmado, simplesmente bom senso, que é o que um jurisdicionado espera de um juiz.

“Nunca olhem para um processo como um estorvo. Em cada processo existe um drama humano que busca o bálsamo da justiça para acalmar os ânimos e restabelecer a paz de espírito às pessoas. A partir de agora, os senhores estão investidos de poderes de julgar seus semelhantes, resolvendo conflitos de interesse, dando a cada um o que é seu. Tais poderes, no entanto, não os transformam em deuses. (…) Por isso, antes de envaidecer-se do cargo, tenham a conduta humilde, sem subserviência, mas com humildade para compreender, como um igual, os problemas e dramas daqueles que acorrem à procura do juiz”

Em nome dos advogados falou Mansour Elias Karmouche, presidente da OAB/MS, lembrando que a sociedade reconhece no Poder Judiciário o protagonismo essencial que consolida o Estado Democrático de Direito, sendo esse um dos motivos de o Judiciário gozar de prestígio e confiança de largas camadas sociais.

“Confiamos na sabedoria e sensibilidade dos homens e mulheres que comandam a estrutura de nosso sistema de leis. Estamos construindo um Brasil melhor. Parabéns aos novos juízes, parabéns aos magistrados. Vamos continuar seguindo em frente e lutando para que tenhamos o melhor sistema de justiça que nossa sociedade merece”.

O Procurador-Geral de Justiça Paulo Cézar dos Passos discursou em nome do Ministério Público e agradeceu aos familiares dos empossandos por emprestarem filhos, netos, esposos, esposas, noivas e noivos para a causa da justiça. 

“Vossas Excelências iniciam aqui uma extraordinária jornada, com o poder de distribuir justiça de forma corajosa e independente, como uma das pilastras de sustentação do edifício republicano. Não tratarão os senhores de processos, mas de homens, mulheres e crianças que confiam e dependem da justa decisão dos senhores. O MP confia no Poder Judiciário deste Estado e tem a certeza que V.Excias servirão a justiça com abnegação, imparcialidade e serenidade”. 

O presidente da Associação dos Magistrados de MS (AMAMSUL), Fernando Chemin Cury, considerou a data especial por coroar o esforço, a dedicação e o empenho de cada um dos novos juízes. “Começa agora uma nova etapa da vida, com muitos desafios, dificuldades, alegrias, angústias, recompensa e satisfação em poder contribuir para uma sociedade mais justa e solidária. Tenham sempre a ternura de uma mãe, a firmeza da espada e a humildade de um sábio. Que Deus acompanhe cada um nessa caminhada”, celebrou. 

Conheça – Para que a sociedade saiba um pouco sobre cada um dos empossados, confira abaixo seus currículos:

Marcelo da Silva Cassavara, 31 anos. Nascido em Caarapó (MS), é formado em Direito pela Universidade Federal da Grande Dourados, em 2008. Foi servidor do TJMS de 2007 a 2010, lotado na 2ª Vara de Caarapó e na Vara Única de Iguatemi. Desde 2010 ocupava o cargo de Defensor Público em Alta Floresta (MT).

Mário César Mansano, 39 anos. Natural de Paiçandu (PR) e formado pela Universidade Estadual de Maringá, em 2006. Pós-graduado em Direito Tributário pela PUC-MINAS. Foi servidor do TJPR, Procurador do Município de Maringá e analista judiciário da Justiça Federal.

Alan Robson de Souza Gonçalves, 32 anos. Natural de Blumenau (SC). Formado em Direito na Univali, em 2009. Tem especialização em Direito Público e Prática Jurídica, ambas pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB). Foi assessor por seis anos no TJSC, em primeiro grau. De 2009 a 2011, cursou a Escola Superior da Magistratura de SC (Esmec).

Larissa Luiz Ribeiro, 29 anos. Nascida em Campos Gerais (MG). Formada em Direito na Faculdade de São Lourenço (MG), em 2011. Aprovada na OAB antes mesmo de formada. Advogou por cinco anos até a aprovação no concurso de juiz substituto de MS. 

Edimilson Barbosa Ávila, 36 anos. Natural de Paranaíba (MS). Formado em Direito pela Universidade Estadual de MS/Paranaíba, em 2006. Possui especialização em Direito do Estado, pela Esmagis, em 2007. Cursou a Escola Superior da Magistratura de MS (Esmagis). Foi assessor de juiz na 1ª Vara Cível de Nova Andradina. Foi assessor de desembargador. Ocupava o cargo de Defensor Público na comarca de Corumbá.

Carolinne Vahia Concy, 31 anos. Nascida em Nova Friburgo (RJ), formada em Direito pela Universidade Federal Fluminense (UFF) e pós-graduada pela Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (EMERJ). Foi residente na PGE/RJ, de 2012 a 2014, e juíza leiga no TJRJ, de 2014 a 2017.

Thielly Dias de Alencar Pithan e Silva, 30 anos. Formada em Direito pela Universidade Anhanguera Uniderp, em 2010. Foi assessora de juiz e servidora efetiva do TJMS de 2010 a 2013, ano em que pediu exoneração para assumir o cargo de analista do TRT da 24ª Região. Em setembro de 2013 assumiu o cargo de juíza no TJBA, exercendo-o até agora.

Bruno Palhano Gonçalves, 27 anos. Nascido em Campo Grande (MS). Formado em Direito pela Instituto IBMEC, no Rio de Janeiro (RJ), em 2012. Cursou pós-graduação na Escola Paulista de Direito (EPD), com ênfase em Direito Civil e Processual Civil. 

Camila de Melo Mattioli Gusmão Serra Figueiredo, 29 anos. Formada em Direito pela Universidade Federal de MS (UFMS), em 2009. Por quatro anos foi assessora no Ministério Público de MS. Aprovada no concurso da magistratura no TJPR, tomou posse em dezembro de 2014.

Vinicius Aguiar Milani, 31 anos. Natural de Guarapuava (PR). Formado em Direito, em 2009, pela Unicesumar em Maringá. Estagiou com juízes nas comarcas de Maringá e Sarandi, ambas no Paraná. Foi assessor de magistrado em Sarandi de 2012 até a nomeação no concurso para magistratura do TJMS.

Bruna Tafarelo, 29 anos. Natural de Astorga (PR) e formada em Direito pela Universidade Estadual de Maringá, em 2012. Especialista em Direito Tributário pelo Instituto Brasileiro de Estudos Tributários e em Direito Processual Civil pela Uninter. Foi assistente de juiz nas comarcas de Astorga, Santa Isabel do Ivaí, Santa Fé e Apucarana.

Diogo da Silva Castro, 32 anos. Nascido em Santos (SP) e formado em Direito pela Faculdade de Direito de Sorocaba (FADI), em 2010. Atuava como advogado em Sorocaba (SP).

Diogo de Freitas, 32 anos. Natural de Poços de Caldas (MG) e formado em Direito pela PUC/Minas. Pós-graduado em Ciências Criminais, advogou por três anos. Exerceu o cargo de Delegado de Polícia no Espírito Santo por mais de cinco anos. Professor de Direito Constitucional e Administrativo em universidades e cursos preparatórios para concurso.

Milton Zanutto Jr., 26 anos. Natural de Terra Roxa (PR) e formado em Direito na Universidade Estadual de Maringá (UEM), em 2012. Foi assessor no 3º Juizado Especial Cível de Maringá e atuou como conciliador no Juizado Especial de Toledo. É advogado.

Daniel Foletto Geller, 36 anos. Natural de Santo Ângelo (RS). Formado em Direito pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), em 2004. Assessor de Procurador de Justiça no Ministério Público Estadual de MS por 12 anos.

Aldrin de Oliveira Russi, 34 anos. Natural de Tupã (SP), formado em Direito pela Faculdade de Direito da Alta Paulista (FADAP), em 2005, e pós-graduado em Direito Tributário pela Universidade Anhanguera, em 2014. Possui mais de 10 anos de exercício da advocacia. Foi assessor na Vara Cível e da Infância e Juventude de Tupã, por sete anos.

Daniel Raymundo da Matta, 31 anos. Nascido em Volta Redonda (RJ) e formado em Direito pela UNIFOA, em 2009. Possui pós-graduação pela Escola da Magistratura do RJ, em 2014. Judicou como juiz substituto por mais de um ano no Ceará até ser nomeado para o cargo de Juiz Substituto do TJMS.

Juliano Luiz Pereira, 29 anos. Natural de Ponta Grossa (PR) e formado em Direito pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, em 2009. Cursou a Escola da Magistratura em 2010, em Curitiba. Desde 2011 foi assessor jurídico no TJPR, onde permaneceu até a nomeação ao cargo de juiz substituto de MS.

Fonte: ASSECOM