Servidor público é sequestrado e espancado ao tentar fugir de bandidos - JORNAL CORREIO MS

Campo Grande (MS),

LEIA TAMBÉM

Post Top Ad

10/07/2017

Servidor público é sequestrado e espancado ao tentar fugir de bandidos

Dois internos do semiaberto foram presos pelo crime

© Ilustração
Um servidor público de 41 anos passou por momentos de terror durante um sequestro na noite deste domingo (9) em Cassilândia, a 430 quilômetros de Campo Grande. Ele foi roubado e espancado depois de reagir e tentar fugir dos bandidos. Dois internos do regime semiaberto da cidade foram presos pelo crime.

De acordo com o boletim de ocorrência, a polícia foi chamada depois que o servidor deu entrada no hospital da cidade com várias lesões pelo corpo. Ele então contou aos policiais que estava em uma festa quando dois homens se aproximaram dele e exigiram que ele entrasse no próprio carro, pois eram do semiaberto e o matariam caso não obedecesse.

A vítima seguiu as ordens dos bandidos, que o fizeram dirigir por várias ruas do município. A todo momento a dupla ameaçava o servidor, chegando a falar que ele ‘era polícia, que trabalhava no presídio e que polícia tem que morrer’. Os autores o mandaram parar em um bar e fizeram a vítima descer com eles.

Assim que entraram no estabelecimento, o servidor deixou a chave do carro e o celular no balcão e começou a gritar para a atendente chamar a polícia. Os suspeitos tentaram arrastar o homem para fora, mas ele reagiu e entrou em luta com a dupla. Neste momento foi espancado e abandonado no local. Os autores fugiram levando o celular da vítima.

Testemunhas que estavam no bar socorreram o servidor e o levaram para o hospital. Com os detalhes do que aconteceu, a polícia passou a realizar rondas pela cidade e logo encontraram o primeiro suspeito, Antônio Roberto Lopes de Oliveira, de 26 anos. O homem foi reconhecido pela vítima e preso em flagrante.

A polícia constatou ainda que Antônio realmente cumpria pela no regime semiaberto e já havia passado do horário de voltar ao estabelecimento penal. No presídio, os agentes penitenciários afirmaram que além do suspeito outro preso não havia aparecido para dormir ali naquela noite, Francisco Romero Mendes, de 31 anos.

Por foto, as testemunhas reconheceram Francisco como o segundo autor do crime e equipes da Polícia Militar e da Civil passaram a procurar o interno. Ele foi encontrado minutos depois na rodoviária da cidade, com o celular da vítima no bolso. Um funcionário o terminal contou que o homem estava tentando vender o aparelho roubado para ele, afirmando que o dinheiro era para comprar uma passagem para Campo Grande.

A dupla foi presa em flagrante e segundo o boletim de ocorrência, pedia a todo momento para a polícia bater neles, pois eram "presos da juíza": “só quero um roxo em nós para ferrar com vocês”, falavam. O caso foi registrado como extorsão mediante sequestro, roubo majorado pela restrição de liberdade da vítima - roubo majorado pelo concurso de pessoas.

Fonte: Midiamax
Por: Geisy Garnes